Sem citar Jihad, Lula posa de pacificador contra “ataque”

Foto: Ricardo Stuckert / PR.

Sem citar os terroristas da Jihad Islâmica, que, de acordo com imagens divulgadas por Exército e TV israelenses, disparavam mísseis contra Israel do entorno do Hospital Baptista Al-Ahli em Gaza, Lula repudiou o “ataque”, insinuando culpa do Estado judeu.

“O ataque ao Hospital Baptista Al-Ahli é uma tragédia injustificável. Guerras não fazem nenhum sentido. Vidas perdidas para sempre. Hospitais, casas, escolas, construídas com tanto sacrifício destruídas em instantes. Refaço este apelo. Os inocentes não podem pagar pela insanidade da guerra“, afirmou o presidente na rede social X, antigo Twitter, mantendo a pose de pacificador que adotou após o massacre de 1.300 israelenses e três brasileiros, cometido pelo Hamas.

O ataque ao Hospital Baptista Al-Ahli é uma tragédia injustificável. Guerras não fazem nenhum sentido. Vidas perdidas para sempre. Hospitais, casas, escolas, construídas com tanto sacrifício destruídas em instantes. Refaço este apelo. Os inocentes não podem pagar pela insanidade

O Exército israelense afirmou que o foguete foi lançado pela Jihad Islâmica; que atingiu um estacionamento ao lado do hospital, não a estrutura da unidade de saúde; e que não há “sinais visíveis de crateras”, ao contrário do que ocorreria em caso de bombardeio de Israel.

O impacto causou apenas uma abertura de “cerca de 1×1 metro, talvez 30 cm de profundidade”, de acordo com a imagem avaliada por um especialista do Centro de Análises Navais (CNA), organização dedicada à defesa e à segurança dos EUA.

As Forças de Defesa de Israel divulgaram também o áudio de uma conversa interceptada entre dois terroristas do Hamas, que atribuem a explosão a um foguete defeituoso da Jihad Islâmica.

0 Comments:

Postar um comentário

Curta Nossa Página

Posts Recentes

Marcadores

PREVISÃO DO TEMPO

VSFM 104,9-Voz Serrinhense