Alimentos, transporte público e frete: preços devem ter alta geral com fim da desoneração

Foto: Reprodução

Preços de alimentos, transporte público, frete, informática e serviços podem aumentar se o veto à desoneração da folha de pagamento não for derrubado pelo Congresso Nacional até o fim do ano, preveem as entidades dos setores impactados. A subida da inflação deve ocorrer em paralelo ao corte de cerca de 1 milhão de vagas de emprego no país. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vetou integralmente o projeto de lei nessa quinta-feira (23), o que gerou críticas de instituições representativas de segmentos da economia e de trabalhadores.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) dá o aumento de preços dos fretes como certo se não houver desoneração. “Para o setor transportador, haverá impactos diretos no aumento dos custos operacionais das empresas que atuam no transporte rodoviário de cargas, rodoviário e metroferroviário público de passageiros.”

“Isso pode gerar redução dos postos de trabalho e inviabilizar novas contratações, além de aumentar o preço médio das passagens e dos fretes, interferindo diretamente na inflação e no valor de produtos e serviços”, diz a entidade, em nota.

R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário