Lula se aproxima da marca de R$ 15 milhões gastos no cartão corporativo em 2023

Desde que reassumiu o poder, em janeiro de 2023, o presidente Luiz Inácio da Silva tem usado de forma expressiva o Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF). Trata-se do cartão corporativo da Presidência da República. Atualmente, o gasto está em R$ 14,8 milhões. E o valor segue subindo, o que indica que poderá bater a marca de R$ 15 milhões até o Natal.

As informações constam no Portal da Transparência. Até setembro, a conta no cartão corporativo estava em R$ 8 milhões. Isso significa que, em menos de 2 meses, foram gastos R$ 6.8 milhões.

Auxiliares de Lula afirmam que ele poderá, ainda este ano, fazer uma viagem à Alemanha para tratar de “temas de interesse do Brasil”. O presidente não costuma ficar em embaixadas brasileiras no exterior. Ele prefere se hospedar em hotéis, o que aumenta as contas com o cartão corporativo.

Se bater a marca prevista de R$ 15 milhões, Lula terá gastado, em 2023, o montante de R$ 1.250 milhão, na média mensal, em despesas adicionais.

De acordo com os dados do Portal da Transparência, esse valor coloca Lula como líder no ranking de gastos com o cartão corporativo. Ele supera, assim, os antecessores Jair Bolsonaro, Michel Temer e Dilma Rousseff.

O cartão corporativo foi criado em 2001, em decreto assinado pelo então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso.

Segundo o Portal da Transparência, o CPGF tem a finalidade de atender despesas de pequeno vulto e despesas eventuais, como viagens e serviços especiais, que exijam pagamento imediato, além de executar gastos em caráter sigiloso.

As despesas de pequeno vulto são as aquelas que não ultrapassem o limite estabelecido na Portaria MF nº 95/2002.

Revista Oeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário