Ato de 8/1 terá Lula, ministros e governadores; ministra Margareth Menezes cantará o hino nacional

Foto: Marcelo Camargo

A cerimônia que vai marcar um ano da invasão às sedes dos três Poderes, em Brasília, em 8 de janeiro, deve contar com a participação de cerca de 500 convidados, entre ministros, parlamentares, presidentes dos tribunais superiores, governadores de estado e representantes de organizações da sociedade civil. A idealização do ato, que será realizado no Senado, partiu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Dentre as autoridades, estão previstas a presença do presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

A expectativa é que a cerimônia dure cerca de uma hora e meia, com discursos dos presidentes dos três poderes reafirmando a importância da democracia, além da previsão de devolução de itens depredados durante a invasão.

Segundo o cronograma divulgado pelo Senado, o evento deve começar com a execução do hino nacional, cantado pela ministra da Cultura, Margareth Menezes. Em seguida, haverá um tempo para discursos de Lula, Pacheco e Barroso.

A solenidade deve ser encerrada com as autoridades indo até a entrada do Salão Nobre do Senado para a entrega simbólica da tapeçaria de Burle Marx e de uma réplica da Constituição Federal de 1988.

A tapeçaria, estimada em R$ 4 milhões, foi arrancada da parede pelos extremistas, que a sujaram com urina e pó de extintor de incêndio. O restauro da peça foi feito em um ateliê de São Paulo, com o acompanhamento de técnicos do Senado.

Já a réplica da Constituição foi recuperada, sem qualquer dano, após ter sido furtada do STF, também em 8 de janeiro.

R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário