Em ano eleitoral, governo Lula gastará pelo menos R$ 1,5 bi em propaganda

Sergio Lima/Poder 360
O governo Lula vai gastar pelo menos R$ 1,5 bilhões em comunicação institucional e assessoria de imprensa durante o ano de 2024.

Nesta segunda-feira (15), foram publicados quatro extratos de termos aditivos de contrato das principais empresas que já detém contratos de comunicação e propaganda no governo Lula na Esplanada dos Ministérios. Os contratos serão geridos pela Secom, comandada pelo ministro Paulo Pimenta (foto).

Todos os contratos foram firmados ainda em 2022, na reta final do governo Jair Bolsonaro. Na época, o então presidente da República elevou os gastos em publicidade, justamente de olho em sua campanha à reeleição. O governo Lula não só manteve os gastos como ampliou esse tipo de dispêndio no ano passado.

O contrato mais parrudo entre os quatro será com a Nova SB Comunicação. Somente com a Nova SB, a Secom vai gastar R$ 562,5 milhões. A agência também detém contratos com a Caixa Econômica, com o Branco do Brasil e Ministério da Saúde.

Também foram aditivados os contratos com a Propeg Comunicação S/A, no valor de R$ 462 milhões, com a Agência Nacional de Propaganda Ltda, no valor de R$ 450 milhões, e com a FSB Comunicação e Planejamento Estratégico. Este no valor de R$ 60 milhões.

Os contratos tanto da Propeg, quanto da Agência Nacional de Propaganda, Nova SB comunicação e FSB compreende um “conjunto de atividades” que “tenham por objetivo o estudo, o planejamento, a conceituação, a concepção, a criação, a execução interna, a intermediação e a supervisão da execução externa e a distribuição de ações publicitárias junto a públicos de interesse.”

Os contratos, conforme o governo federal, foram firmados com o objetivo de atender ao “princípio da publicidade e ao direito à informação, por meio de ações que visam difundir ideias e princípios, posicionar instituições e programas, disseminar iniciativas e políticas públicas, ou informar e orientar o público em geral”.

Com informações de O Antagonista

Nenhum comentário:

Postar um comentário