Fuga em Mossoró: Lewandowski terá de prestar esclarecimento à Câmara

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, terá de explicar a fuga de dois detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, em audiência na Câmara. O requerimento para convocação do ministro foi apresentado à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado pelo ex-presidente do colegiado, deputado Sanderson.

Formada em sua maioria por integrantes de oposição a Lula, a Comissão de Segurança Pública aprovou todos os requerimentos para convocação do ex-ministro da Justiça Flávio Dino em 2023. Dessa forma, a expectativa é que o mesmo aconteça com Lewandowski. Atualmente, o colegiado é presidido pelo bolsonarista Alberto Fraga (PL-DF).

No requerimento, Sanderson classifica a fuga do presídio de Mossoró, a primeira registrada por uma unidade do Sistema Penitenciário Federal, como “preocupante”. Outro tema a ser questionado ao ministro, segundo o documento, é “o avanço do crime organizado no Brasil”.

“É com preocupação que, em 14 de fevereiro de 2024, recebemos a notícia da primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal desde sua criação, em 2006. De igual modo, é com preocupação que também estamos acompanhando o avanço generalizado nos estados brasileiros, a exemplo da Bahia, Rio Grande do Norte, Amazonas, Rio de Janeiro e, mais recentemente, Rio Grande do Sul, que hodiernamente vem sem expandindo das capitais para as regiões interioranas”, argumenta o deputado.

A Comissão de Segurança Pública deu início aos trabalhos de 2024 na terça-feira (6/3), com a eleição do deputado Alberto Fraga como novo presidente do colegiado. O requerimento para convocação de Lewandowski foi o primeiro apresentado este ano e deverá ser votado na próxima reunião da comissão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário