Fugitivos de Mossoró: foco de buscas se intensifica a 1 km dentro do cerco em área rural

Foto: Iara Nóbrega/Inter TV Costa Branca
A polícia que trabalha nas buscas pelos dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, acredita que a dupla está desarmada, sem apoio e sem condições de ir mais longe.

A hipótese se justifica, segundo as forças especiais que participam da busca porque os dois não conseguiram se afastar muito do galpão agrícola que invadiram na sexta-feira (1º). Eles estavam em busca de celulares e armas, segundo uma testemunha ouvida pela polícia.

A dupla teria ficado irritada por não encontrar os aparelhos e os armamentos desejados e deixaram o local apenas com comida.

Dentro da área de 5 km de raio de busca utilizada pelas forças policiais, foi criado um cerco ainda menor, agora com apenas 1 km de raio. Acredita-se que os fugitivos ainda estejam na região de Baraúna, a 35 quilômetros de Mossoró.

O novo raio está localizado dentro de uma fazenda de frutas, onde há uma reserva de caatinga preservada e de mata fechada.

Um helicóptero equipado com infravermelho e detecção de calor, usado nas buscas, acusou nesta madrugada a possibilidade da presença dos dois fugitivos nesta área.

Apesar disso, as forças especiais estão lidando com uma disputa interna de egos. “Enfrentamos uma guerra de vaidade, de quem vai pegar os dois, o que só prejudica os trabalhos”, disse uma fonte à reportagem.

Há um esforço para manter a coordenação das operações com divisão de tarefas e troca de informações. Além disso, as equipes estão se revezando, trocando frequentemente de integrantes e de policiais.

G1/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário