Sem estoque de vacina suficiente, governo Lula é cobrado por governadores no ‘combate à dengue’ no País

Governadores dos sete estados do Sul e do Sudeste divulgaram, neste sábado (2), uma carta conjunta na qual cobram do governo do presidente Lula (PT) “maior celeridade no desenvolvimento e na produção de vacinas” contra a dengue e “atualização dos critérios de distribuição de recursos federais” no combate à epidemia.

Na carta, os governadores enfatizam que os sete estados têm mais de 114 milhões de habitantes e que a atual epidemia de dengue compromete, principalmente, as duas regiões. Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina decretaram situação de emergência.

Em São Paulo, são 128 mil casos confirmados neste ano até o momento, com 27 mortos e 132 óbitos sob investigação. Em outro trecho, o grupo diz que “deve ser enfatizada a premência de maior celeridade no desenvolvimento e na produção de vacinas e, ainda, uma distribuição que, a um só tempo, seja ágil e atenda a critérios transparentes e pactuados com os entes da federação”.

“Dado que a epidemia acomete neste momento particularmente o Sul e o Sudeste, contrariando a série histórica, os estados dessas duas regiões advogam pela atualização dos critérios de distribuição de recursos federais para a realidade atual”, afirma a carta assinada pelos governadores.

Em outro trecho, o grupo diz que “deve ser enfatizada a premência de maior celeridade no desenvolvimento e na produção de vacinas e, ainda, uma distribuição que, a um só tempo, seja ágil e atenda a critérios transparentes e pactuados com os entes da federação”.

Assinam a carta os governadores Tarcísio de Freitas (SP), Romeu Zema (MG), Cláudio Castro (RJ), Renato Casagrande (ES), Ratinho Junior (PR), Jorginho Mello (SC) e Eduardo Leite (RS).

*Jair Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário